Monday, May 17, 2010

Capacete e coragem, e vamos que vamos!

Minha segunda saída de bike como meio de transporte, até a Praça Panamericana. Dessa vez à luz do dia, que pelo menos parece ser mais seguro que o último passeio noturno. Pelo menos até eu entupir a magrela de sinalização e comprar uma jaqueta amarela reluzente.

Difícil andar espremida na borda do asfalto, justamente porque ali nem existe mais asfalto e sim uma buraqueira só. Quase derrapei feio hoje. Vou começar a virar ativista em pró de ciclovias! Aliás, nesse sentido, o Willian Cruz (amigo do Léo) é campeão de ativismo. E o blog dele (Vá de bike! A bicicleta como meio de transporte no país do automóvel) anda me ajudando bastante com dicas de como sobreviver no mesmo espaço que carros e ônibus e seus motoristas desatentos e mal-educados.

Recomendo: http://blig.ig.com.br/freeride/

O engraçado é a reação de algumas pessoas no metrô. Olhando de relance, a bicicleta dobrada lembra uma cadeira de rodas. Sinto que algumas me olham, surpresas, como se eu fosse uma cadeirante que acabou de vivenciar um milagre e começou a andar.

Cinthia: prometo publicar fotos em breve. Que bom que chegaste bem aos Estados Unidos. Te amo, irmã.

Fê Lima: que ótimo poder te conhecer na quarta. Pretendo chegar mais cedo no Nyingma, por volta das 18h. Namastê!
Foto publicitária - site Dahon.

9 comments:

Manfred Richter said...

huahuahua, cadeira que recebeu milagre foi da hora. AHAHAHAH

Willian Cruz said...

Oi Carline, tudo bem?

Pedalar no cantinho da rua é mesmo difícil e perigoso. Junte coragem e ocupe mais espaço na rua, para sua própria segurança. Entenda melhor:
http://blig.ig.com.br/freeride/2006/03/20/dicas-para-o-ciclista-urbano-4/

Tem mais dicas importantes aqui:
http://blig.ig.com.br/freeride/category/dicas-para-o-ciclista-urbano/

Bem vinda à liberdade.

Willian Cruz
vadebike.org

Icthecat said...

Olá Carline aqui você também vai pegar dicas valiosas.

www.ta.org.br/educativos/DOCS/De_bicicleta_para_o_trabalho.pdf

Pedro Gontijo said...

Vai fundo, vale a pena! Peguei muitas dicas no Vá de bike!, do William. Ajuda mesmo!

Um abraço

@pgmenezes

Rodrigo Novaes said...

Oi Carline!

Andar pelo canto da rua parece mais seguro só que não é, o ideal é você ocupar mais ou menos 1/3 da faixa da direita. Você pedala num asfalto mais liso e os carros passam mais longe de você. Quando você está no canto, o motorista sente segurança em passar mesmo que arriscando a sua vida. Quando você está no 1/3, quase na direção da roda dele, ele sabe que não pode passar sem ocupar a outra faixa, aí ele vai tomar mais cuidado. Contraintuitivo mas funciona.

Boa sorte e mantenha a calma!
Abraço,
Rodrigo

Aline Cavalcante said...

oi carline!!!
vamos conversar por email.. quem sabe eu possa te ajudar
alinizinhazona@gmail.com
ou twitter @pedaline
benvinda a essa mundo magico
nao se assuste, depois que ganhamos confiança tudo fica mais lindo!!

beijo

Carline ;) said...

Meus queridos, obrigada desde já por todas as dicas! Realmente é importante investir tempo para aprender todas as dicas para conseguir mais confiança para pedalar de casa para o trabalho.

Willian, que coisa mais chique aquele vídeo teu!

E nos dias de chuva como hoje? Tem que investir naquelas roupas de motoqueiro???

Carline ;) said...

O que é melhor: luva que cobre todos os dedos ou parcial?

Willian Cruz said...

As roupas de motoqueiro são impermeáveis e grossas, o que significa que a água e o frio não entram, mas também o calor do corpo e o suor não saem. Além disso, limitam os movimentos. São bastante inadequadas para o uso com bicicleta.

O melhor é usar uma capa de chuva mesmo. Existem algumas específicas para o uso com bicicleta, que têm algumas aberturas estratégicas para deixar sair o calor do corpo. Existem também jaquetas impermeáveis, em casas de equipamento para montanhismo, que deixam a transpiração passar mas não deixam a chuva entrar, mas essas são bem caras. A solução mais popular é usar aquelas capas de chuva do tipo poncho, amarelas.

Eu costumo usar uma que me cobre só até a cintura e não ligo muito em molhar dali para baixo, chegando no destino eu me troco, levo sempre uma muda de roupa e, quando está chovendo, outro par de tênis. É a vatagem de se ter alforges na bicicleta.

Quanto às luvas, depende se está frio ou calor. No frio, é melhor usar as de dedo fechado, no calor as de dedo aberto. O importante é que a palma da luva não escorregue, por isso é bom comprar luvas próprias para ciclismo.