Thursday, April 30, 2009

Inspire

Flores que já presentei alguém especial.

Wednesday, April 29, 2009

Expire

Fashion bubbles, abril 2009.

Tuesday, April 28, 2009

Inspire

Grupo de Danças Clássicas Indianas Natyalaya, (16/08/08).

Monday, April 27, 2009

Expire

Jurerê Internacional, 19/04/09

Sunday, April 26, 2009

Inspire

Pôr do sol, em Floripa, visto da rodoviária, abril 2009.

"Amansa Brasil"

Para trabalho final de uma das disciplinas da pós, escolhi como objeto de estudo o Instituto Socioambiental (ISA), do qual tenho bastante admiração. Já encontrei muita coisa bacana no site deles (http://www.socioambiental.org.br/) e nessa terça vou dar um pulo lá na sede para conversar com o coordenador do programa do Vale do Ribeira.

Gostaria de compartilhar a parte final de um "Convite a uma colaboração" que o ISA escreveu em 2004, quando comemorou dez anos de existência:

" (...) Hoje, nós do ISA ainda temos que advertir que 'socioambiental' se escreve junto; mas esperamos ver o dia em que esta palavra seja considerada um pleonasmo: se é social, só pode ser ambiental. Pois não existe uma “dimensão ambiental” do crescimento econômico, do desenvolvimento social, do progresso em geral: ambiente é o nome da coisa toda, do problema inteiro. O ambiente não é uma atração turística, um detalhe pitoresco, uma alegoria de carnaval.

Ambiente não existe só aos domingos, nem é luxo de rico. Ambiente é uma questão de saúde pública e de justiça social, não só para os que vivem hoje, mas para as gerações futuras. Uma questão de economia, enfim, no sentido próprio e nobre do conceito. Ambiente, recordemos, é apenas uma outra palavra para condições de existência.

O equívoco de se separar social de ambiental se torna ainda mais grave quando se imagina — como se imagina tão frequentemente — que só podemos nos desenvolver pagando algum preço ambiental, isto é, estragando alguma coisa. Isso não é verdade. Não se faz omelete sem quebrar os ovos, diz-se. — pode ser, mas também não se faz omelete quebrando todos os ovos e matando as galinhas. Ou o desenvolvimento é sustentável, ou não é desenvolvimento. O “preço” que temos de pagar é o de melhorar o ambiente, aprender a evoluir em sintonia com ele, pois não há verdadeiro avanço da civilização que não seja ao mesmo tempo um melhoramento das condições ambientais propícias a nossa espécie.

Em suma, é preciso fazer uma revisão drástica do paradigma do crescimento indefinido e a qualquer custo, que continua guiando nossos planos econômicos e nossos sonhos de
grandeza nacional. Por isso o mote deste manifesto: Amansa Brasil. Apegados a uma concepção linear e cumulativa de história, herdeira de um pensamento europeu velho de séculos, ainda não acordamos para a constatação de que a miséria, a fome e a injustiça não são o fruto do caráter ainda parcial e incompleto da marcha do progresso, mas seus produtos necessários, que continuarão crescendo mais e mais enquanto a marcha prosseguir no rumo em que vai. A saída não pode ser por aí, e cabe a nós acharmos outra. Pois o futuro nos desafia a uma nova síntese: a sustentabilidade socioambiental. Esse é o espetáculo que queremos mostrar para nossos filhos."

Friday, April 24, 2009

Today




- Anúncio feminista no barzinho Conversa Fiada, em Coqueiros;
- Cafezinho da tarde antes do casamento da Cami;
- Após o banho de mar em Jurerê (Cinara, yo e Cilenita);
- Como é bom dançar com as amigas.

Você sabia?

"Carros com selo de eficiência energética
por Andrea Vialli
Sabe o selo do Procel, aquele que indica o grau de consumo dos eletrodomésticos? Foi criado um equivalente para automóveis. Na sexta-feira foi anunciado o ENCE - Etiqueta Nacional de Conservação de Energia - que vai informar, para os consumidores brasileiros, os níveis de consumo de combustíveis de alguns automóveis. Assim, quem quiser optar por modelos mais econômicos/eficientes poderá ter a informação expressa em um selo afixado no próprio carro.

Assim como os eletrodomésticos, o selo ENCE, desenvolvido pelo Inmetro, trará uma classificação que irá de A a E, sendo A destinado aos modelos mais econômicos. Passa a valer a partir de hoje (17/04)".

Extraído do blog de Sustentabilidade.

Baby PéNaJaca

Sabe aquela barrigona linda da Tatiana que eu fotografei há alguns meses? Pois nasceu essa belezurinha, bem pequena no início, mas que ganhou peso e exibe essas coxas gordinhas :)

É a Beatriz, e as tias PNJ que a conheceram neste domingo de sol, em Santo Antônio de Lisboa.
Contagem regressiva para o choro.

Da série... Pare o Mundo que Eu Quero Descer

Como diria a Cilenita: É NAAAADA!! Eis que, tomando o meu chai black indiano da tarde e descansando a mente dos relatórios de sustentabilidade, me fisga a atenção o título da “notícia” na home page do terra.com: 11 coisas que todo homem tem que fazer antes de morrer. Clico ou não clico? Clico ou não clico? Cliquei, certamente curiosa para ler algo do tipo: conheça as pirâmides do Egito e escreva um bom livro de ficção.

Quem dera. A lista é uma afronta absurda à inteligência masculina.

Ficou curioso também? Então prepare para o check list (se você for homem, claro, não estamos tratando do universo feminino revista orgásmica Nova, por ora):

"1. Tenha uma reputação
Seja fama de bom piadista ou de garanhão, a maneira que as pessoas te enxergam acaba sobrepondo àquilo que você é na verdade. Ser frouxo também é reputação.

2. Saiba os diálogos de pelo menos um filme de macho de cor
Eu sei frases de cor de toda a série O Poderoso Chefão. Se só conhece as de O Amor Não Tira Férias, você tem um problema. Se não sabe de nenhum, pode começar já.

3. Colecione algo
Está no sangue de todo homem ter uma coleção. Começa com figurinhas e pode terminar com ex-mulheres. A escolha é sua.

4. Saiba fazer pelo menos um prato bem
Arroz com ovo cozido não conta. Aprenda uma receita, faça-a a exaustão, seja sua cobaia até você conseguir impressionar qualquer um com o sabor.

5. Faça sexo em local público uma vez na vida
Seus netos, um dia, vão lhe agradecer por essa historia, mas tenha discernimento para não escolher um ônibus lotado na hora do rush ou o balcão do McDonalds.

6. Salte de pára-quedas
Realize o sonho de ser o Superman e sinta o vento no rosto enquanto você despenca de uma altitude de 3.700 metros. Se gritar, pelo menos faça com que pareça que está adorando.

7. Tenha uma noite de sexo com uma menina que acabou de conhecer
Garantimos que essa noite será lembrada por você quando completar 80 anos de idade. Só não vale pagar pela menina.

8. Dê seu lugar para uma mulher em um transporte coletivo
Você pode ser um bronco, mas uma vez na vida precisa agir como um perfeito cavalheiro e silenciosamente apontar para o lugar vazio à donzela. Se não ganhar pontos com ela, ganhará no céu.

9. Seja bom em algum jogo que não seja considerado esporte
Vale poker, truco, War, xadrez e até Banco Imobiliário. O importante é você se sentir desafiado em seu poder de estratégia e não só na sua capacidade de entrar nas pernas do adversário.

10. Proporcione um legítimo orgasmo a uma mulher
Isso sem perguntar depois se foi mesmo de verdade.

11. Faça uma lista de 11 coisas que você deve fazer antes de morrer
Você não precisa concordar com nossa relação, mas metas são importantes na vida. E homem que é homem tem as dele".

Esse final bombástico não é o máximo? “E homem que é homem tem as dele”. Não resisti e encaminhei a lista para um amigão meu (que é jornalista também) e a lista dele acabou sendo um repúdio enviado à redação. O melhor é o item 10...


"11 coisas que a reportagem de Terra deveria fazer a partir desta idiotice

1. Parar de generalizar e publicar coisas do tipo “Todo homem”...


2. Se informe, pois o segmento de gastronomia em casa cresce exponencialmente e é praticada por homens.

3. Deixe de alimentar o machismo. Essa de ter o que contar para os netos e apontar uma transa ao ar livre é de doer...

4. Deixe de enaltecer a futilidade. Pular de pára-quedas? Isso é o máximo de adrenalina que um ser humano pode experimentar?

5. Abandone os estereótipos e deixe de acreditar que homem só gosta de filme de ação.

6. Pare de colecionar “dicas” inúteis, fazendo o leitor de idiota.

7. Abandone a idéia de que o máximo de intelectualismo seja ser bom num jogo qualquer... Se ao menos lançasse mão do lugar-comum, do tipo “escreva um livro” ou “tenha um filho”, mas nem isso!

8. Deixe de acreditar que gentileza sirva a algum propósito que não o de melhorar a vida em coletividade.

9. Não estimule esse câncer da superficialidade que é o tal do marketing pessoal. Reputação não é o que tentam passar que é.

10. Proporcionar legítimo orgasmo? Isso é projeto de vida? Não é o básico em um relacionamento?

11. Pare de achar que listas imbecis podem ser engraçadinhas e podem ocupar o tempo daquele que navega em suas páginas vazias..."

Tuesday, April 21, 2009

Linda e casada!

A grande amiga de facul e de turma PéNaJaca, Camilinha, subiu ao altar, no último domingo, transbordando sorrisos. Cerimônia religiosa, jantar, festa... tudo absolutamente perfeito, como sonha toda noiva vestida de branco :0)
Cilenita, Cinara, Tati e Gil ( a Bea estava dormindo no carrinho de bebê)

Carolina arrasando com microfone na mão e vestido a la "the oscar goes to"...

Valsa de recém-casados.


Turma PéNaJaca reunida: só faltou a Dani!

Após a distribuição de gravatas, óculos, chapéu, plumas, anéis brilhantes... tradição brasileira de casamento :)

Léo e Celito.

Carol, Cristina e Carli.

Alguém duvidou que rolaria pelo menos um funk no casamento da Cami? "Glamourosa, rainha do funk/Poderosa, olhar de diamante/Nos envolve, nos fascina, agita o salão... "

Com a noiva emplumada. Uhu

PNJs atacando o noivo (enquanto a Cami transbordava sorrisos, o Ricardo quase deixava transbordar o copão cheio de whiskey).

Muitas felicidades aos noivos!!!!

Voltei hoje para Sampa e, quando tiver mais tempo, escreverei sobre a viagem chuchuzíssima para Santa Catarina, em que: conheci a Beatriz, a baby PNJ; tomei banho de mar em Jurerê com Cinara, Cilene e Luiza; matei saudades dos pais fofos da Carolzinha e da Carol propriamente dita; revi os meus pais e caminhei em Itapema; conversei MUITO com Talia e Naomi em Navegantes; e toda aquela overdose de momentos memoráveis que nos inundam inteiramente, sem deixar um espaçozinho sequer para duvidar se existe realmente uma chuva de bênçãos coloridas caindo sem cessar em nossas cabeças. Pode apostar que existe sim!

Casamento Camila e Ricardo

video

O discurso da madrinha Carol, em nome das PéNaJaca :)

By Carline.

Saturday, April 18, 2009

Benefícios do yoga no Globo Repórter

O Globo Repórter me surpreendeu. Achei que dariam apenas alguns segundos de imagens mostrando a galera praticando asanas e pranayamas na A Macaca, mas foi praticamente todo o segundo bloco do programa, inclusive com vários depoimentos da professora Karina Grecu.

Eu assisti o programa lá em Itapema, com a mami ao meu lado. A tia Norma ligou empolgada dizendo que havia me visto umas quatro vezes (vai nessa que ela me reconheceu deitada, com uma bandagem tapando os olhos em uma sala lotada hehehe).

Achei bem interessante o programa "Impacto das Emoções" na saúde. Nem sempre o que é óbvio para a gente é compartilhado pela maioria das pessoas, principalmente a conexão existente entre os pensamentos que brotam na mente e seus reflexos no corpo e na somatização de doenças.

Reproduzo aqui o link com a parte de programa em que A Macaca aparece e (abaixo) o texto que acompanhou a reportagem de Grasiela Aezevedo.

"Aula de ioga ensina como equilibrar o corpo e a mente
A professora ensina alguns exercícios de respiração. Encher os pulmões completamente é revigorante. E esvaziá-los até o final é profundamente relaxante.

Na sala de ioga, eles têm bem mais que cinco segundos para respirar. Flexibilidade, força e equilíbrio: a aula é de ioga avançada.

Uma parte importantíssima fica para o final. São os exercícios de respiração. Isso que parece tão simples poderia ser uma ajuda poderosa se não fizéssemos de maneira tão errada. "Provavelmente, se você estiver com o seu peito fechado, você vai precisar trabalhar pela boca para captar mais ar. O ideal é você respirar sempre pelo nariz. Inspirar e expirar pelo nariz. A gente fala pela boca e respira pelo nariz", explica a professora de Ioga Karina Grecu.

Então vamos lá. Não dá para deixar passar essa oportunidade de aprender a respirar direito e de equilibrar o corpo e a mente. Para ajudar na concentração, os olhos são delicadamente vendados e as costas, posicionadas de forma a abrir o peito e facilitar a entrada e a saída do ar. "Uma respiração profunda deve encher os seus pulmões verticalmente e lateralmente", demonstra aconselha a professora.

Os médicos dizem que, na correria cotidiana, chegamos a usar apenas 30% ou 40% da capacidade pulmonar. É como ter balões mal aproveitados. Se usássemos toda a capacidade dos pulmões, a vida certamente ficaria melhor. O corpo mais animado é o que o pessoal da ioga chama de energia vital. Encher os pulmões completamente é revigorante. E esvaziá-los também até o final é profundamente relaxante. "A gente começa limpando as toxinas dos pulmões. A gente solta toda a respiração e solta todos os problemas mentais, todas as coisas de que a gente tem a certeza absoluta. A gente limpa a mente de todas essas certezas”, recomenda Karina. Sabe o que fazer com a preocupação, a pressa, a raiva, o medo, a agenda e as contas? Deixar para depois, dar um tempo de tudo e respirar".

Sunday, April 12, 2009

Feliz Páscoa, com gosto de domingão comum

Incrível como o contexto do feriado de Páscoa vira apenas uma sutileza de data comemorativa não vivenciada quando a sua família está em Santa Catarina e você passa a tarde sozinha em casa, lendo na cama, sentindo a brisa que entra pelo janelão do quarto e o latido dos cães dos vizinhos (gente, como tem cachorro na Lapa!). Ops, rolou um gol do São Paulo - pela gritaria e foguetes. Alguns anos atrás, em um domingão de páscoa, eu havia terminado um rafting no Nepal e esperava, cansada, um ônibus que me levasse de volta a Pokhara. Pedi para umas crianças ao meu redor desenhar uns coelhinhos no diário de viagem e essa cena ficou bem registrada na minha memória. Depois encarei seis horas sentadas no chão do ônibus, devido à lotação, sem encontrar ninguém que falasse inglês. Naquele momento, eu tentei resgatar algum espírito de Páscoa, mas era apenas um dia comum, sem propagandas de chocolate, ou séries na TV sobre Jesus Cristo e os mistérios da Bíblia. Hoje, novamente, parece um dia comum, mas nem por isso menos especial. Aproveitei esses dias para arrumar gavetas, armários, estante de livros, separar itens para doação ou reciclagem (feng shui pascoalino). Os elefantinhos enfileirados que ganhei das amigas PéNaJaca migrou para a sala... Jesus, agora é a torcida do Corinthians que faz a festa. Empate nervoso no Morumbi (liguei a TV, inclusive).
Volto para os textos de Meio Ambiente, aproveito para visitar blogs de amigos,
além de curtir a parede recém-pintada de vermelho na sala
e a azul turquesa no quarto
Detalhes da casa que revelam nossas preferências.

Pão de quinua

Na minha busca por comidas vegetarianas nutritivas e gostosinhas, resolvi experimentar o pão de quinua light da marca Fazenda Tambu, vendido na rede de supermercados Mambo (R$ 1,95, por 120 gramas ou quatro unidades). Apesar da aparência ser atraente, achei puro gosto de fermento de pão. A lista de ingredientes da receita inclui farinha de trigo (enriquecida com ferro acido fólico), farinha de quinua e farinha de soja. Considerando que quinua ainda é muito cara no Brasil, a quantidade deve ter sido irrisória na comparação com as demais, o que torna o produto uma enganação. Não recomendo.

Em compensação, para comemorar o festival do chocolate, digo Páscoa, comprei um ovo de chocolate ao leite da Cacau Show, da linha Dreams, recheado de trufa tradicional (R$ 33,90 por 400 gramas), e adorei. Chocolate suave, que derrete na boca, acentuado pelo gosto do conhaque do recheio. Recomendo. Quando entrei na loja (Heitor Penteado), as prateleiras estavam praticamente vazias, com duas ou três opções restantes, o que é uma dádiva para uma libriana indecisa. Escolhi em dois minutos e enquanto esperava para pagar, presenciei a discussão de um casal por ovos de chocolate. A esposa queria alguns de 500 gramas e não ficou nada feliz que só tinha de 400 gramas à venda. O marido ousou insinuar que, a pouco horas da Páscoa, ela deveria garantir aqueles mesmo, o que foi motivo para um descontrole TPM. Gente, cadê o espírito de renovação, transformação, amor, solidariedade? São só 100 gramas de diferença, vai...

Saturday, April 11, 2009

Inspiração


Avenida Pompéia ao fundo (foto acima).Sábado, 11 de abril de 2009, às 19h30. Sampa pela janela.
Clique para ampliar as imagens ;)

Bem-vindo ao meu reality show!

Capítulo 2: “Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei. Pra você correr macio” (Pato Fu)

Cheguei para conhecer o trabalho da Escola Clínica Cecília Bellina -Dirija Sem Medo, na filial da Heitor Penteado, cheia de expectativas. Fiquei meio decepcionada no início, pois não foi uma psicóloga que me atendeu na chamada “Entrevista Informativa”, apenas uma moça da própria escola que me explicaria o método, sendo que as informações já estavam contidas no site. Ela falava de uma forma tão pontuada que me senti uma débil mental incapaz de acompanhar a explicação de maneira fluida. Enfim, encarei tudo isso como resistência mental para não seguir adiante. Parei de olhar também para a saia cinza dela até os joelhos com uma renda bege que definitivamente não combinava. Talvez sem a renda? Céus, essa mente cheeky monkey é terrível às vezes.

O tratamento consiste em terapia de grupo por duas horas e mais 50 minutos de aula prática de direção por semana. São quatro etapas que vão desde reaprendizagem dos comandos do carro até a efetiva liberdade de sair sozinha por aí, por qualquer lugar. Tudo acompanhado por psicólogo e assistente de direção mega pacientes e, principalmente, respeitando o grau de evolução do "paciente". Disseram que apesar de algumas pessoas levarem dois anos (ou mais) para superar eventuais traumas e conseguir dirigir, a média do tratamento varia entre seis e oito meses. O grau de complexidade vai aumentando aos poucos, inclusive encarar Radial Leste na hora do rush, trocar de pistas, fazer baliza em morro... (ela continuou explicando, mas a minha mente se petrificou em Radial Leste, Radial Leste, Radial Leste, pois, convenhamos, tudo o que não eu gostaria de fazer na vida é encarar a Radial Leste). Talvez se eles focassem mais as maravilhas de sair a 110 km por hora pela estrada rumo à Paraty...

Entendido o método, ela perguntou se tinha alguma pergunta.
- Quanto custa? (Óbvio). São R$ 415,00 por mês, mais R$ 170 pela entrevista inicial com a psicóloga.
- Há turmas na quarta-feira à noite? Não, pelo menos no centro ao lado de casa. Daí teria ainda que me descolar para a Vila Mariana.

Saí reflexiva e um pouco decepcionada por não ter aproveitado o ano passado para me dedicar a essa missão. Quarta é a minha única noite livre para descansar, ou estudar para os diversos cursos que estou fazendo, ou encontrar os amigos. Com agenda tão apertada, seria uma loucura propor dedicação a mais essa iniciativa, pelo menos no primeiro semestre.

Conclusão: volto a pensar em um tratamento estruturado a partir do segundo semestre. Por enquanto, vou tentar aproveitar a boa vontade dos amigos chuchuzinhos para aos finais de semana treinar um pouco em ruas mais desertas.

Devagar, e sempre.

Acompanhe o capítulo anterior da saga.


Foto do volante, retirado deste site.

Friday, April 10, 2009

Feliz aniversário, Tati!

Tati PéNaJaca completa 33 anos bem vividos hoje, com o melhor presente que poderia ter nessa nova idade: a pequenina Beatriz :) Daqui a uma semana estarei em Floripa com essas duas adoráveis.

Felicidades, minha amiga. E me perdoe por ligar depois das 11 da noite hehehe

Foto retirada do multiply da Tati.

Thursday, April 09, 2009

Mais boa notícia


Acabo de receber um e-mail anunciando a vinda do nepalês Yongey Mingyur Rinpoche, autor do imperdível livro "A Alegria de Viver" (da escola Karma Kagyu).

Todas as palestras terão entrada gratuita, somente os retiros serão pagos. Clique aqui para ver a programação. No site também há trechos da obra, como as abaixo:

"Quando você é treinado como um budista, você não pensa no budismo como uma religião. Você pensa nele como um tipo de ciência, um método para explorar sua própria experiência por meio de técnicas que lhe permitam examinar suas ações e reações sem julgamentos, com o olhar voltado para reconhecer: 'Ah, é assim que a minha mente funciona. É isso que preciso fazer para vivenciar a felicidade. É isso que preciso evitar para evitar a infelicidade'.

(...)Em sua essência, o budismo é muito prático. Trata-se de fazer coisas que encorajem a serenidade, a felicidade e a confiança e evitar coisas que provoquem a ansiedade, a desesperança e o medo. A essência da prática budista não é tanto um esforço para mudar seus pensamentos ou seu comportamento para que você se torne uma pessoa melhor, mas perceber que, independentemente da sua opinião sobre as circunstâncias que definem a sua vida, você já é bom, pleno e completo. Trata-se de reconhecer o potencial inerente de sua mente. Em outras palavras, o budismo não se preocupa tanto em ficar bem, mas em reconhecer que você já é, neste exato local e neste exato momento, tão pleno e tão bom e já está essencialmente tão bem quanto jamais poderia esperar um dia estar.

Mas o melhor de tudo é que não importa quanto tempo você passa meditando, ou o método que utiliza; toda técnica de meditação budista acaba gerando compaixão, independentemente de estarmos conscientes ou não dela. Sempre que observar sua mente, você não tem como deixar de reconhecer sua semelhança com as pessoas que o cercam. Quando vê seu próprio desejo de ser feliz, você não tem como evitar ver o mesmo desejo nos outros e, quando observa claramente seu próprio medo, raiva ou aversão, você não tem como evitar ver que todos ao seu redor sentem o mesmo medo, raiva ou aversão" (Joy of living).

Wednesday, April 08, 2009

Boas notícias

Oiê! Como fiquei isolada em retiro no fim de semana passado, as atividades se acumularam e estou em pleno jogo de cintura para dar conta de tudo :) Respirando, claro.

Lá em casa, muitas mudanças. Na segunda, o Léo levou grande parte de suas coisas para a casa onde irá morar, no Butantã, inclusive a geladeira. Até a chegada da nova roommate, daqui a umas duas semanas, farei o exercício antropológico de viver sem o teoricamente essencial eletrodoméstico. Um brinde ao polenguinho! A minha cama chegou, errada. Afe, enviaram a cabeceira com um detalhe de savana africana que eu tinha recusado desde o início. A falta de atenção generalizada virou epidemia nos dias atuais...

Para terminar a mensagem rapidinha, vale a pena reproduzir duas ótimas notícias (estadao.com.br):

"Assembleia de SP proíbe fumo em ambientes coletivos fechados

(...)A lei seguirá para sanção do governador e entrará em vigor assim que for publicada no "Diário Oficial". Os deputados votam agora duas emendas à proposta.

Com a lei sancionada, fica proibido fumar em bares, restaurantes, áreas comuns de condomínios e hotéis, em táxis e carros oficiais. A lei veta até os fumódromos de empresas privadas e proíbe o uso também de cigarrilhas, charutos e cachimbos. Quem quiser fumar terá de fazê-lo na rua, ao ar livre." Para ler tudo, clique aqui.

Mata atlântica pode ter 150 mil km² restaurados

Um pacto para restaurar 150 mil quilômetros quadrados da mata atlântica - uma área equivalente ao Estado do Ceará - foi lançado ontem em São Paulo. A meta é recuperar 30% da área original do bioma até 2050. Atualmente, floresta bem preservada corresponde a 7% da cobertura original da mata atlântica, sem contar trechos que demandam proteção e cuidado especial (13%). A iniciativa pretende restaurar 10% do bioma original que desapareceu.

(....) Calmon explica que o financiamento das iniciativas não virá de filantropia. "Queremos criar mecanismos para que os produtores recebam pelos serviços ambientais prestados pela floresta preservada nas suas propriedades." A mata atlântica garante o abastecimento de água para quase 130 milhões de pessoas no País. "Também vamos buscar interessados em comprar créditos de carbono", afirma Calmon. Mais de 50 entidades aderiram, incluindo organizações não governamentais, empresas, universidades e governos. O site www.pactomataatlantica.org.br recolherá as inscrições. " Saiba mais.