Sunday, October 10, 2010

21


Para honrar a vinda do lama Sogyal Rinpoche, em novembro, recomecei a ler o "The tibetan book of living and dying", de sua autoria. Creio que esse foi o primeiro livro budista com que tive contato, e não de uma forma planejada. Estava em Kathmandu, a capital do Nepal, prestes a sair para as montanhas quando encontrei a holandesa Michele, que acabou tornando-se minha companheira de trekking. Ela é quem carregava esse livro e aproveitava as pausas para compartilhar alguns trechos. Na página 12, a filosofia de Milarepa: "My religion is to live - and die - without regret".

É incrível como a nossa experiência está absolutamente conectada com o momento de vida de outras pessoas. Aprendemos uns com os outros, desde que estejamos abertos para tanto. Eu estou. Tu estás?

3 comments:

LeoJandre said...

Pergunta interessante.
Ainda estou fechado para aprender fora da minha própria área e grupo de convivência social neste trecho da minha vida. I
sso por conta de escolher (nem sempre sábiamente) assumir responsabilidades e encargos que tenho que desempenhar antes da próxima encruzilhada onde possa escolher outros rumos com mais maturidade...

Mas para quem puder ler este livro (em inglês) abaixo vai o link:
http://www.holybooks.com/wp-content/uploads/The-Tibetan-Book-of-Living-and-Dying.pdf

Bom feriado Chuchuzinha. Vc continua uma leitura interessante. ;)

Carline :) said...

Obrigada por indicar a versão online gratuita, Leonardo.

Olha que lindo isso na página 10: "What more chilling commentary on the modern world there could be that most people die unprepared for death, as they have lived, unprepared for life?".

Talvez é possível escolher rumos com maior maturidade indo além da Física? É uma questão jogada ao vento...

LeoJandre said...

Talvez seja possível noutro momento, sibila uma resposta no vento.