Sunday, October 31, 2010

zero

Parte do domingo, com amigos.
A minha amiga Cilenita dormiu em casa e foi uma alegria papear com ela no café da manhã. Parece que há sempre mais assunto e tempo insuficiente.

Justifiquei o voto, pois decidi descansar em Sampa no feriadão, em vez de ir para Brusque. Faz simplesmente 10 anos que eu tenho que transferir o meu título de eleitor. Quem sabe na próxima?
Daqui a pouco, vitória petista no nosso Brasil varonil.

Tomei (mais) café da manhã com a amiga Andrea de Lima e o casal chuchuzinho aí da foto: Cinthia e Atílio, que voltaram recentemente de uma belíssima viagem para Índia, Indonésia e Tailândia. Compartilhamos a paixão por viajar, os ideais sustentáveis, o desejo de viver mais pertinho da natureza. Bela manhã de conversa! Para acompanhar as vivências deles, acesse: http://www.aldeias.blog.br (Cinthia, do qual retirei essa foto) e http://conhece-te.com.br (Atílio). Bons novos começos na Chapada Diamantina, meus queridos!


Parte do domingo, comigo.
* Eu gosto bastante de cozinhar. Hoje preparei um nhoque ao molho vermelho de espinafre e tofu. Bom, não pense que eu perdi horas intermináveis preparando a massa, enrolando e cortando em pedacinhos simétricos. Sejamos moças práticas. ha ha ha

** Também começo a me organizar para manter firme a decisão de tirar 10 dias de férias em novembro. Quando se trabalha como autônoma, não tem essa de pedir folga para o chefe. Sou eu, na verdade, que tenho a liberdade de dizer sim ou não para os trabalhos. E eu já recusei dois esta semana, pois a entrega é justamente para meados do próximo mês. É um bom aprendizado essa coordenação de prazos e cronogramas, ainda que bem desafiante.


*** Já já eu respondo os e-mails atrasados. Antes, compartilho contigo um trecho de "A Ilha Sob o Mar", o lançamento de Isabel Allende. Ainda estou na página 39, mas sinto que a obra tem potencial de ser recomendável...

"O amor, que ainda não havia conhecido, envolveu Étienne Relais como uma onda imensa, pura energia, sal e espuma. Calculou que não podia competir com os outros clientes da moça, mais bonitos, poderosos ou ricos, e por isso decidiu, ao amanhecer, oferecer a ela o que poucos homens brancos estariam dispostos a lhe dar: seu sobrenome.

'Casa-se comigo', pediu entre dois abraços. Violette se sentou de pernas cruzadas sobre a cama, com os cabelos úmidos grudados na pele, os olhos incandescentes, os lábios inchados pelos beijos. Iluminavam-nos os restos de três velas moribundas, que os haviam acompanhado em suas intermináveis acrobacias.

'Não fui feita para esposa', respondeu ela, acrescentando que ainda não havia sangrado com os ciclos da lua e que, segundo Loula, já era tarde para isso, e que ela nunca poderia ter filhos.

Relais sorriu, porque as crianças lhe pareciam um estorvo."

4 comments:

LeoJandre said...

069
117
032
097
099
101
105
116
111
032
100
111
105
115
032
097
110
111
115

Fernanda R. Lima said...

Ô mundinho pequeno! A Cinthia é uma baianinha querida mesmo! Eu a conheci alguns anos trás no Yoga pela Paz. Acompanhei todos os passos dela pelo lindo blog Aldeias.

Só gente querida reunida!

Um beijo e bom feriado ;-)

Fe

Carline :) said...

Oi, Fê! Ter amigos Chuchuzinhos é Tudo de Om (he he he). Quem sabe começamos um blog juntas? Bom feriado pra ti também! E temos Sogyal soon, really soon :)

LeoJandre said...

Epáh!
Não me conte entre os chuchuzinhos, pois sabes que sou pepino. Na horta de chuchu e jaca, eu escolho pepino, quiabo, jiló, maxixe, pera, uva, maça e salada mista. ;)