Monday, August 02, 2004

Ah, vira de frente, vai! hahahahahaha


Nada como comecar Agosto, mes do desgosto, com uma aventura bem Pe Na Jaca. Tava devendo para as Jaquissimas uma foto minha pronta para encarar o Rubber Ball (queridos pais, favor pular o capitulo 2 de agosto, obrigada). O Baile da Borracha encerrou o ultra mega evento de fetiche que rolou em outubro do ano passado em Londres. Eu descolei credencial de imprensa internacional para cobrir este final de semana especial de depravacao europeia. Descolar um figurino nao foi dificil pois na epoca eu morava e trabalhava no pub com Laura, inglesa feticheira. Descobrimos mais tarde que a pimpolha, aos 19 anos, era atriz de filme porno de quinta categoria, mas isso nao vem ao caso heheheh

Eis o relato que escrevi na epoca. Vale a pena deixar registrar no meu cyber diario :)))

---- ;0) -----

Dentro de uma jaula, uma asiatica vestindo uniforme de enfermeira azul bebe ajuda uma anazinha de cabelo vermelho-fogo a subir na cadeira. Parece pleonasmo dizer anazinha (com til, please!), mas eh que a mulher era mini mesmo (e tinha uma cara de cu com caibra, como diria a minha irma Kelly). Depois do tal gesto de cuidado com a outra, eis que a enfermeira tira de dentro do suposto kit de primeiros socorros uma corda imensa e comeca a amarrar a vitima tao forte que eh possivel ver o braco da ana jah meio roxo pela falta de circulacao do sangue. E a "brincadeira" dura quase uma hora.

Este foi apenas o inicio da minha primeira experiencia em uma festa de fetiche. Em um final de semana especial, que acontece apenas uma vez por ano, Londres abriga o maior festival de fetiche da Europa. Eu participei da feira com as novidades no ramo de acessorios de tortura e fornicacao e do baile de encerramento do evento. Tentei em vao convencer alguem a ir comigo (poooo, nunca vou perdoar a Talia! hehehe), mas decidi prosseguir mesmo assim. :)

Ir sozinha a um lugar desses eh se sentir um suculento pedaco de carne crua a merce de predadores. O primeiro esquisito que veio falar comigo era ingles e se chamava Laurence. Por coincidencia era tambem a primeira vez dele neste tipo de lugar. Ele vestia uma calca preta de vinil justerrima e um cuecao de couro por cima de deixar orgulhoso o Pit Bicha. Depois da velha desculpa "I`m sorry. I must go to the toilet right NOW", conversei com mais dois caras pelo caminho que tambem descreveram a noite de fetiche como sendo a primeira deles. Bom, pensei, ou estou no Baile dos Calouros ou essa a desculpa esfarrapada mais usada para naum passar tanto por depravado. Vai que rola um segundo encontro em outro lugar, ne? Melhor garantir um certo senso de realidade para depois naum cair no ridiculo de um chegar usando jeans e camiseta preta e outro um tapa-sexo vermelho e um quepe de marinheiro :)

E naum eh que eu sinto algo estranho rocando meu braco. Eh o cu da cobra! Naum, naum eh a forca da expressao Pe na Jaca tradicionalmente usada por mim. Era uma cobra mesmo, vivinha da Silva. Uma das participantes da festa esqueceu de vestir qualquer peca de roupa, mas lembrou de enrolar a serpente no pescoco. Ambas dancavam felizes, pelo menos.

Resolvo ir no banheiro de novo. E eis que apos dar a descarga, dou de cara com uma drag queen de salto altissimo, peruca violeta, maquiagem pesadissima e muuuuuitas plumas pretas. Ele sorri para mim. Eu retribuo o sorriso, jah imaginando que terei que inventar uma desculpa alem de precisar ir no banheiro para fugir das criaturas heheheh E naum eh que o dito fala em portugues "Naum reconhece mais os velhos amigos?". PAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARA TUUUUUUDO! Era um cara que fazia danca comigo em Bruxxxxque (que alias namorou uma amiga minha do colegio por 3 anos e meio heheheh). O mundo eh mesmo uma ervilha vestida de roupa de couro! Nosso reencontro foi uma festa e soh faltou a gente dancar a coreografia "Purple Rain, Purple Rain" em homenagem aos velhos tempos.... :)

O Rubber Ball eh mesmo uma caixinha de surpresas. E falando em Baile da Borracha, PVC, chicote e tudo mais, perguntei para duas gurias o que leva alguem a se espremer em uma roupa de vinil suuuper colante dos pes a cabeca (o corpo inteiro eh coberto, soh ha buraco para olhos, narinas e boca. Muitas tem um espacito aberto para a "perseguida" lah debaixo respirar tambem). Uma delas respondeu : "Eu gosto do clima da seducao. Eh como ficar a mostra e ao mesmo tempo impenetravel" Hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm Sei, sei...

Em relacao ao meu figurino, eu tambem estava espremida em um corpete dourado de borracha. No inicio eh gostoso sentir o geladinho e a textura do material, mas depois que o corpo comeca a suar a vontade eh de tascar tudo fora. Alias, o que muitos ateh fazem. Eu me comportei direitinho. O resto do meu figurino era a basica meia arrastao, uma calcinha de couro com um monte de "pontas de metal" (uaaaauuuu) e uma bota de adolescente rebelde fa de Marilyn Mayson. Ah, tinha tambem uma coroa com um veu dourado que me ajudou a conquistar o apelido "Golden Princess" hahaha que coisa mais cafona.

No baile tambem teve uma serie de desfile de moda e umas performances um tanto estranhas. Vi um cara fazendo sexo com um pedaco enorme de carne de boi pendurada no teto. Vai entender! Vi tambem muitos usando mascaras de gas e me contaram que o barato eh sofrer para respirar. Um fecha a entrada de ar e o outro fica meio azul, implorando oxigenio. Submissao eh a palavra-chave. Vai entender parte 3457. O figurino dos feticheiros era o mais legal de ficar observando. Todos presam muito pelo visual e deixam a entender o tipo de sadoma e gomorra preferido.

Como tudo em Londres tem hora contada para comecar e terminar, depois das 3 da manha fui para o after party (que terminou as 7 da matina). Lah era um clube bem menor, no centro da cidade, e creio que soh foi o pessoal mais determinado a fazer sacanagem. A pista de danca era cercada por TVs mostrando os piores videos pornos que jah vi na vida. E 99,9% do pessoal consumia algum tipo de droga. Acreditem ou naum, a excecao da festa era euzinha aqui, que cai na besteira de ficar sobria num lugar desses hahahahhahahahah Ah, nesta segunda festa eu fui com a Laura, inglesa que mora comigo. O namorado dela (Peter) era o DJ. Nao senti muuuuita diferenca entre uma pista de danca de fetiche e as inumeras raves de psy trance que fui em Sao Paulo. O que me leva a crer que jah estou acostumada com gente alternativa. Eh claro, porem, que vivenciei algumas bizarrices. De vez em quando vinha algum cara e ficava de quatro, mostrando a bunda branca peluda e me oferecia um chicote para ser torturado. Sai pra lah, Satanas!

Para ser sincera, o mais engracado eh que eu aprendi o verdadeiro significado do ditado "o perigo mora ao lado". A Laura, naquele lugar, virou a propria libertina dos contos de Marques de Sade. Peitos de fora, piercing nos mamilos, olhar tarado, ficou se atracando com um monte de mulher. O namorado olhando, claro. E para desgraca do destino ela confessou uma tara especial por mim e eu me vi mais tendo que fugir dos agarroes dela do que do resto dos feticheiros de plantao. Vai entender..... Posted by Hello

No comments: