Saturday, April 11, 2009

Bem-vindo ao meu reality show!

Capítulo 2: “Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei. Pra você correr macio” (Pato Fu)

Cheguei para conhecer o trabalho da Escola Clínica Cecília Bellina -Dirija Sem Medo, na filial da Heitor Penteado, cheia de expectativas. Fiquei meio decepcionada no início, pois não foi uma psicóloga que me atendeu na chamada “Entrevista Informativa”, apenas uma moça da própria escola que me explicaria o método, sendo que as informações já estavam contidas no site. Ela falava de uma forma tão pontuada que me senti uma débil mental incapaz de acompanhar a explicação de maneira fluida. Enfim, encarei tudo isso como resistência mental para não seguir adiante. Parei de olhar também para a saia cinza dela até os joelhos com uma renda bege que definitivamente não combinava. Talvez sem a renda? Céus, essa mente cheeky monkey é terrível às vezes.

O tratamento consiste em terapia de grupo por duas horas e mais 50 minutos de aula prática de direção por semana. São quatro etapas que vão desde reaprendizagem dos comandos do carro até a efetiva liberdade de sair sozinha por aí, por qualquer lugar. Tudo acompanhado por psicólogo e assistente de direção mega pacientes e, principalmente, respeitando o grau de evolução do "paciente". Disseram que apesar de algumas pessoas levarem dois anos (ou mais) para superar eventuais traumas e conseguir dirigir, a média do tratamento varia entre seis e oito meses. O grau de complexidade vai aumentando aos poucos, inclusive encarar Radial Leste na hora do rush, trocar de pistas, fazer baliza em morro... (ela continuou explicando, mas a minha mente se petrificou em Radial Leste, Radial Leste, Radial Leste, pois, convenhamos, tudo o que não eu gostaria de fazer na vida é encarar a Radial Leste). Talvez se eles focassem mais as maravilhas de sair a 110 km por hora pela estrada rumo à Paraty...

Entendido o método, ela perguntou se tinha alguma pergunta.
- Quanto custa? (Óbvio). São R$ 415,00 por mês, mais R$ 170 pela entrevista inicial com a psicóloga.
- Há turmas na quarta-feira à noite? Não, pelo menos no centro ao lado de casa. Daí teria ainda que me descolar para a Vila Mariana.

Saí reflexiva e um pouco decepcionada por não ter aproveitado o ano passado para me dedicar a essa missão. Quarta é a minha única noite livre para descansar, ou estudar para os diversos cursos que estou fazendo, ou encontrar os amigos. Com agenda tão apertada, seria uma loucura propor dedicação a mais essa iniciativa, pelo menos no primeiro semestre.

Conclusão: volto a pensar em um tratamento estruturado a partir do segundo semestre. Por enquanto, vou tentar aproveitar a boa vontade dos amigos chuchuzinhos para aos finais de semana treinar um pouco em ruas mais desertas.

Devagar, e sempre.

Acompanhe o capítulo anterior da saga.


Foto do volante, retirado deste site.

2 comments:

Luiz Ribeiro said...

Carline, a Rita está treinando aqui na Demétria. Ruas de terra, pouquíssimos carros e paisagens bonitas. Dá até pra fazer uma parada na cachoeira...

Se quiser, seja bem-vinda. Acho que vale umas dez sessões com os psicólogos, hein?

Beijos,
Luiz

Carline :) said...

Isso é que é convite chuchuzinho!!! Vou tentar me organizar para ir no final de maio conhecer o belo local onde moram :) Muito obrigada, Luidgi!