Tuesday, March 07, 2006

Bere, Bere, Berenice ou A Imprevisível e Doce Arte de Não Ter Orkut

Aeroporto de Floripa. Quem eu encontro, inesperadamente? Bereniiiiiiiiiiiiice!!!!
Guria! Quanto tempo!!!! Grande companheira de sertão da Bahia. Nós, estudantes, querendo atenuar a miséria da seca com palestras coloridas e bem-intencionadas. Acho que a cidade de Santanópolis pouco mudou após a passagem do programa Universidade Solidária, mas creio que todas as nossas vidas nunca mais foram as mesmas.

Memórias ardidas, de ver criança pequena mal suportando o peso da enxada para arar a lavoura. Memórias fedidas, tendo que controlar a cara de asco ao ver uma panelada de buchada de bode. Memórias excitantes, após litros e litros de catuaba que tomávamos na fazendinha em que estávamos hospedadas. Nove moçoilas e um estudante de agronomia, que nem deu muita bola pra ninguém (acho que ele beijou no final a bióloga?). Lembro de ter me emocionado durante o mutirão de coleta de lixo e pintura dos lixeiros da cidade. Um raparigo escreveu o meu nome numa das bombonas de metal. Lixo - Carline. Profundo...

Mas eu táva falando da Berê! Foi junto dela que me joguei para curtir os finais de semana em Salvador. Passar a noite dançando no Pelourinho e dormir nas areias de Stella Maris no dia seguinte. Elerê. E a vez em que o pessoal deu sonífero para o líder do projeto (um professor da UFSC meio mala - diga-se de passagem) e sequestrou a kombi! Pra dar um rolé. hahahah

No inusitado encontro em Floripa, Berê me contou que foi casada, que se formou em Odonto, que vivia em Londrina, que foi mochilar no Chile (uhuuuu), que estava embarcando para passar 12 dias de carnaval em Salvador (uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu) .... como é gostoso perceber os diferentes rumos que os amigos escolhem.

"Ué, tá todo mundo no Orkut. Você não está?" - ela pergunta.

Nope. Prefiro esperar pelos acasos que possam surgir. Daí sim, ouvirei atenta as novidades e convidarei para um próximo café. Aliás, temos que marcar o nosso, Berê.

2 comments:

Lu Tie said...

Pequeno Gafanhoto calega glande tlisteza no colação por nao ter encontlado Quelida Calolzita. Mas Pequeno Gafanhoto também muito feliz por estar de volta a glande tella da abundancia e sabedolia tlopical, né? Hai hai hai! Pequenho Gafanhoto exige plesença de quelida Calline e quelida Cilene em chulasco que Mãe Gafanhoto olganiza nesse domingo, ne? Hai!
BANZAI!!!

Beijos, linda!
Ja to em Sampa!

Carline :) said...

Bem-vinda, nêga!!!! Prepare-se para o primeiro cano duplo: vou pra SC neste findi e a Cilene vai pra Botucatã. Estás bem de amigas, né? heheheh
Mas deixe estar que o happy hour com cuba libre está garantido na casa da Ci, em breve, muito breve :)
saudades