Monday, October 09, 2006

Sinopses

Contagem regressiva pra Amazônia: embarco daqui a 10 dias. Yeah! Com a passagem comprada, é hora de estudar o local e planejar os passeios? Não exatamente. Procuro me informar apenas sobre os quesitos sobrevivência: o quão quente é realmente esse clima úmido-pegajoso, se devo tomar ou não vacina contra febre amarela. O resto, é lá mesmo!

Acho que correr pra internet para conhecer os mínimos detalhes do que vou encontrar em Santarém, a fim de traçar uma lista de pontos turísticos "imperdíveis" é uma atitude, no mínimo, claustrofóbica. Gosto de assistir DVD sem ler a sinopse. Desconhecer a trajetória renomada do diretor, ou a pontuação dada pelos críticos de cinema. Opto em ver o filme com novos e abertos olhos, que não são escravos de expectativas. Isso sim é aproveitar a experiência. E vale, principalmente, na hora de viajar.

Lembro-me de estar sentada no vagão do trem indiano rumo a Jodhpur, faltando apenas 20 minutos pra chegar, e só aí abrindo o guia Lonely Planet para verificar as opções de hospedagem. A "cidade azul" acabou por se revelar a si própria, por meio de dicas de moradores locais, que sempre me levaram bem mais a fundo do que o exposto nos cartões-postais. Neste mesmo estilo, sigo dia 18 de outubro para o Pará. Absolutamente sem idéia de como sobreviver na temperatura mínima de 37 graus (na sombra?). Ah, como isso me deixa de bom humor!

Compartilho um trecho que acabo de ler em "Divã", o novo livro da escritora gaúcha Martha Medeiros, emprestado pela Cilene.

"Minha primeira vez fora do país foi como a primeira vez fora de mim. Não senti pavor, não tive vergonha, não segui planos. Eu estava para o que desse e viesse, absolutamente disponível para o desconhecido. Uma estréia sem ensaio, sem texto decorado, tudo acontecendo no seu devido ritmo e provocando reações espontâneas.

Quando voltei para o Brasil, meses depois, passei a me perguntar qual a razão de eu não me comportar assim na minha própria terra. Decidi que daquele momento em diante eu seria menos previsível, que daria uma chance a todas as emoções que não fossem previamente combinadas".

Que a semana seja repleta de emocões não combinadas ;) E os meus 29 já estão batendo à porta!

1 comment:

Lu Tie said...

Como nos dizemos aqui na Galia: Bonne chance, ma chère!
Tenho certeza de que sera uma experiencia sensacional, a qual nos rendera bons bate-papos durante o cha pos-yoga. Alias, amanha começo um curso de yoga com o Cheri, do lado do nosso novo apto. Vida nova, tudo novo!
NAMASTÊ!
Beijinho
Lu